Saturday, February 23, 2008

Onde estavas na noite em que doía


Onde estavas na noite em que doía
no silencio das lágrimas perante
a cruz que se erguia desolada
Pedro onde estavas, quando só o vento
cantava baixinho entre os dedos de Maria
onde estavas Pedro, quando olhei
e vi apenas o sono nas pálpebras
daqueles que prometeram
ficar a velar nas sombras
Onde estavas? Pedro onde estás?
Aqui eu procuro-te e chamo pelo teu nome
Pedro, ou serei eu a perguntar por mim
na noite em que o galo canta.


(Clélia Mendes, 1954- )


Nota: Estavamos a conversar no Messenger e pedi à poeta que escrevesse um poema e mo enviasse para o Blog , ela escreveu no momento este e chamou-lhe «um expontâneo».