Monday, February 13, 2006

Às portas do Santuário

As portas do santuário de Fátima não apelam nem podem apelar nunca aos Evangélicos.
Não pela sua monumental arquitectura de lugar corporativo, em relação à simplicidade de outros templos e casas de culto protestantes, mas pelo que ele representa em termos de um dogma que não é teológico.
Há hoje na agenda religiosa do nosso país, ainda os efeitos da polémica abertura do santuário a outras confissões religiosas à qual os Evangélicos portugueses têm que ser alheios, pela História e pela própria Doutrina dos Apóstolos.
A verdade é que o santuário de Fátima está assente sobre um algo que está errado, dogmática e evangelicamente, até nos seus próprios fundamentos, causando aos seus próprios criadores estranheza. Há aproximadamente dois anos, um editorial do órgão oficial do santuário escrevia que «ainda hoje é difícil de explicar como é que a mensagem de Fátima irradiou para o mundo inteiro, tão longe e tão cedo.(...) Tão cedo, ainda antes de se dispor destes meios actuais de comunicação, praticamente instantânea, que está a trazer problemas muito sérios à pobre capacidade do nosso cérebro.»