Monday, May 01, 2006

O Esfarelado Evangelho de Judas


No Portal Evangélico da Aliança Evangélica Portuguesa publiquei, no dia 29 do passado mês de Abril, um artigo sobre o momento de «reescrita» de um aspecto crucial da Paixão e Morte redentora de Nosso Senhor Jesus Cristo - a publicação do «Evangelho de Judas». Um excerto desse mesmo artigo, é o que abaixo editamos.
Bloco de textoO documento de 26 folhas denominado Evangelho de Judas, um estranho papiro que sofreu as dores de parto de uma história rocambolesca para aparecer, «escrito» por membros da seita gnóstica e herética no século II, não «existe» enquanto Teologia.
Que Judas agiu sob consentimento divino, mas com plena liberdade ética, é, de facto, um debate teológico, porquanto o Pai consentiu no sofrimento do Filho, de acordo com as Escrituras.
Mas que a crucificação foi «uma reencenação da profecia bíblica» - segundo um teólogo britânico, a propósito do caso – já é apenas uma observação do criticismo moderno sobre a teologia da Bíblia.
A verdade é que o VT não propôs encenações, mas adiantou tipos, figuras, sombras, que se concretizaram no Novo Testamento, sendo a Expiação dos pecados da humanidade pelo Filho de Deus a centralidade dessa tipologia e a sua realização.
Mesmo a existência física desse alegado Evangelho de Judas foi controversa, apesar de ter sido atestada pelo primeiro bispo de Lyon, Irineu, que no mesmo século II não deixou de denunciar o texto como herético.