Monday, March 12, 2007

As Prisões dos Judeus


Existem hoje cerca de 15 milhões de judeus em todo o mundo. O mesmo censo demográfico indica que apenas cinco milhões vivem em Israel.
Fora ou dentro do seu espaço, os judeus estão condenados a sê-lo. E também o seu Estado de Israel.
O judaismo impôs sempre aos hebreus um comportamento sacro e moral. Certo sábio rabino no chamado Sínodo de Yabneh ou Jamnia, no século I, disse que “a Torah foi dada no Monte Sinai e nos foram dados métodos de exegese, por isso a Torah não está mais no Céu, ela está aqui em Israel.”
Por isso, não se trata apenas de um conceito novo do pós-modernismo, segundo o qual os judeus estão prisioneiros, na sua mente, por causa das suas raízes e origens bíblicas, realmente os muros dessa prisão são «a essência, a eternidade e o absoluto», estão cativos do próprio Deus.
Em Fevereiro último, o fundador da Le Nouvel Observateur, o jornalista Jean Daniel, oriundo de judeus sefarditas, escreveu sobre essa alegada prisão judia, assegurando que «pode-se sair da religião, mas nunca se sai do povo judeu e de seu destino único, mesmo que a gente se declare não crente.»
A identidade dos judeus é alvo de objecções e fala-se unicamente da sua cidadania política e da sua posse territorial. Tomando a base bíblica, incontornável, os israelitas, mesmo hoje, são oriundos de uma identidade e não podem ser desapossados do seu espaço físico, a Palestina. São simultaneamnte o povo do Velho Testamento, a nação à qual Jesus Cristo veio ofertar primeiramente a Salvação, e território peculiar. A religião judaica, mais tarde chamada Talmúdica, essa, é outra categoria. A questão judaica hoje já não inclui exclusivamente o judaísmo. Por isso existem judeus-ateus, judeus-não crentes, e o que seria uma contradição nos termos, é actualmente uma realidade. Mas ainda assim, o judaísmo -o seu credo judaico, ou talvez melhor, talmúdico, resumido à profundidade dos seus Treze Princípios formulados por Maimónides no século XII- prende os judeus a uma forma, não de culto ou ritual mosaico, mas mental.